Rosângela Dias
30 de setembro de 2017
Plano para tirar a mulher do lar
1 de outubro de 2017
Mostrar tudo

Maria Carolina Melo

Meu nome é Maria Carolina, tenho 30 anos. Sou casada a 8 anos e temos 4 filhos: Pedro de 7, Israel de 5, Estêvão de 2 e Valentina de 7 meses. No início do casamento trabalhava em um banco. Ganhava bem, ficava o dia todo fora, tranqüila, feliz! Fui criada para ser uma mulher de sucesso, segundo minha mãe… vergonha era depender de homem pra sobreviver! Logo no começo do casamento tive o Pedro. Não amamentei! Não queria ter alguém que dependesse de mim e que me privasse do sonho de ter sucesso profissional! Pedro praticamente foi criado pela avó materna até seus 4 anos. Israel nasceu 2 anos depois. Diferente de Pedro foi amamentado, mas confesso: isso só aconteceu, pois ele se recusou a pegar mamadeira!

Quando Israel tinha 1 ano e meio, passamos por uma situação complicada: meu marido me contou sobre uma traição! Naquele momento morri… nada mais me satisfazia, o trabalho não tinha mais o seu valor, não tinha mais graça!

Pensei em sair de casa, dar o troco, jogar tudo pro ar… não sabia o que fazer!
Me voltei a Deus! Pensei: “Será que quero mesmo que minha família se desfaça? Quero mesmo que meus filhos fiquem longe do pai? Ele não é um bom esposo? Bom pai?” Era sim! Percebi que muitos dos erros da nossa família eram meus também… me afastei tanto do meu marido e filhos que não percebi que abri a porta para o demônio entrar! Era necessário mudar!

Primeira coisa que fizemos foi colocar tudo em pratos limpos e nos perdoar; não dava pra viver com esse fantasma da culpa! Depois percebemos a necessidade de entrar novamente na palavra de Deus: nos abrimos à vida! Paramos com todos os tipos de contraceptivos que usávamos…precisávamos entrar na vontade de Deus!

Mas ainda não era o suficiente, meus filhos precisavam de mim! Não os conhecia, não sabia quem eram seus professores, em que série da escola estavam, o que faziam enquanto eu não estava perto… pensei, conversei com meu marido e pedi demissão! Passei a ser do lar! Sofri, é verdade, com a mudança, mas Deus foi me provando que fui feita pra essa missão: ser mãe e esposa de sucesso!

Me deu ainda mais duas graças, Estêvão e Valentina, e sabe-se mais quem possa vir dessa obra grandiosa de Deus!

Não temos luxos, vivemos com simplicidade, mas temos Deus aqui e disso não abro mão!
Vejo hoje que naquele tempo não percebia o mal que fazia a mim e a minha família e essa lucidez só veio por intermédio de Deus e da Igreja!

Sinceramente?! Sou feliz! E não há nada e nem ninguém que possa me dizer que din22heiro e sucesso podem me dar o que tenho hoje: uma família edificada em Deus!