Sou Rainha do Lar
13 de setembro de 2017
Conselho de Santa Zélia ao irmão
15 de setembro de 2017
Mostrar tudo

Sara Winter

Minha história de vida me levou até o feminismo. Sempre tive problemas familiares graves que contribuíram para que eu odiasse os homens. Eu via na causa dos meus problemas a minha relação conturbada com homens da minha família, por exemplo. E o discurso do feminismo que eu conheci me fez ver que eu estava certa! (…) No mais posso dizer que minha expectativa pelo movimento feminista era mudar o mundo e eu até pensei que conseguia… Mas hoje, percebo que posso ajudar muito mais mulheres.

Nunca as feministas estão felizes com elas mesmas. Comigo também não estava, mas isso não me impedia de fazer meu ativismo! Até que chegou ao limite do insuportável, colocando minha vida em risco. Deixei o feminismo, mas nunca pensei que a partir daí as perseguições cessariam. Ficou pior. É tanto que meu leite secou devido ao estresse insuportável! (…)

Acho incrível essa oportunidade que Deus me deu. É uma nova chance. Uma nova vida. Eu me encontrava destruída emocionalmente. Eu fazia o que fazia e não sabia o porquê eu fazia… eu só sabia que tinha que fazer. Para você ver o nível de lavagem cerebral que eles fazem. Eu lutava e dava a minha vida por uma revolução que eu nem sabia qual era… mas eu vivia aquilo, eu respirava aquilo”.

Muitas vezes eu pensei em largar tudo, mas eu não conseguia porque eu não tinha outro objetivo na vida a não ser lutar pelo feminismo, pelo Estado forte, pelo comunismo. E hoje em dia, se não fosse o meu filho, o meu bebê, eu não teria conseguido sair disso. Ele foi a mão de Deus agindo na minha vida. E sou grata a todas as pessoas que me deram uma segunda chance também.

O perdão para mim tem sido uma coisa diária. A cada dia eu me perdoo um pouquinho. Eu espero que chegue um dia em que eu consiga estar completamente livre.

Eu tenho certeza de que Deus já me perdoou. Eu me confessei e acredito que Deus tenha me perdoado. Eu acredito no Sacramento da Confissão e sinto isso no meu coração, que Ele me perdoou. Agora é um trabalho de algum tempo para eu me perdoar.

Muitas vezes eu pensei em largar tudo, mas eu não conseguia porque eu não tinha outro objetivo na vida a não ser lutar pelo feminismo, pelo Estado forte, pelo comunismo. E hoje em dia, se não fosse o meu filho, o meu bebê, eu não teria conseguido sair disso. Ele foi a mão de Deus agindo na minha vida. E sou grata a todas as pessoas que me deram uma segunda chance também.

Fonte: Entrevista a ZENIT. Disponível em: <https://pt.zenit.org/articles/sara-winter-rezo-o-terco-todo-o-dia-que-e-uma-coisa-que-eu-nao-abro-mao/> e <https://pt.zenit. org/articles/meu-intuito-e-despertar-as-meninas-para-ficarem-bem-longe-do-feminismo-diz-sara-winter/