Letizia Afonso
29 de setembro de 2017
Rosângela Dias
30 de setembro de 2017
Mostrar tudo

Nádia Trindade

Me chamo Nádia, sou casada com Marcelo há 15 anos, mãe de 2 meninos, Gabriel (14 anos) e Hugo (9 anos). Passamos por momentos de lutas, dores, perdas, separação, para que hoje nossa família se tornasse um pequeno cenáculo de amor.

O Senhor me resgatou em 2009 para que eu lutasse por minha família. Nesse período recebi muitas graças, porém a batalha era grande, e o Senhor sempre me sustentando.

Para honra e glória do Senhor, nossa história foi reescrita pelas mãos da Virgem Maria, em 27 de novembro de 2010, quando nosso matrimônio e família foi restaurado.
Em 2011 ne consagrei a Santíssima Virgem, que me levou a percorrer uma estrada de cura e restauração da minha feminilidade, passei a compreender e amar minha missão e vocação como mulher!

 Foi então, que apesar de não utilizarmos método algum anticoncepcional, o Senhor nos levou a compreender que deveríamos ser abertos à vida.

Em 2013, em momento de oração o Senhor pediu que parasse de trabalhar fora para me dedicar melhor aos cuidados com minha família e meu lar… tivemos muito receio, hesitamos de primeira, mas depois decidimos por obedecer o Senhor, e desde então, o Senhor não tem permitido que nada nos falte.

 

Ano passado, Ele começou a nos incomodar novamente em relação à família, pedia que fôssemos um pequeno cenáculo de amor. A princípio, nao dei importância, achava que era coisa da minha cabeça.


Um dia, nos apresentou alguns Santos que seriam intercessores da nossa família, são eles: Santa Teresinha do Menino Jesus, Santos Luis e Zélia martin, Sagrada Família, Beata Elena Gueera, Santa Gianna Beretta Molla, Santa Faustina, São José, São Padre Pio e São João Paulo II.

 

Foi quando propus ao Senhor que concedesse a graça de possuir uma relíquia de um deles. Em agosto fui a uma formação, lá em um dia ganhei uma relíquia de Santa Gianna Beretta Molla, quase morri… no outro dia durante a oração das preces comunitária que “nossas famílias se tornem pequenos cenáculos de amor”, e mais tarde ganhei de outra pessoa outra relíquia de Santa Gianna .

 Tivemos a confirmação do querer de Deus: que fizêssemos da nossa família um pequeno cenáculo de amor, no qual o centro é o Senhor.

Hoje, temos relíquias de quase todss os amigos e intercessores que o Senhor nos deu, fazemos um apostolado com a Capelinha do Espírito Santo nas famílias.


E vivemos nossa vocação e missão como família, conforme São João Paulo II, fala em Familiaris Consortio. “Família torna-te aquilo que es, ou seja, comunidade de vida e amor.” Vivemos nossa missão com amor, indo onde o Senhor nos envia, seja auxiliar outras famílias, seja como pró-vida, aconselhando gestantes a manter a gravidez e escolher a vida… Na Paróquia ajudando como catequista, meu esposo na música, e meu filho mais velho no grupo jovem e música também.